Top Ad unit 728 × 90

Survivors Colecionadores #2: Como começar uma coleção de Resident Evil?


Vários de vocês já devem ter visto artigos cheios de dicas de como adquirir produtos oficiais e originais da série por um excelente preço. Se você ficou babando e está interessado em começar a colecionar itens originais ou trocar seus antigos games “alternativos” por produtos oficias, aí vão algumas dicas bem importantes para te ajudar nessa árdua tarefa.

O que é importante para você?

Antes de iniciar e fomentar a roda do consumismo, você deve se perguntar: o que te levou a ser fã de Resident Evil a ponto de te fazer montar uma coleção? Os games? Os filmes? As HQs? Os personagens? O universo da série?

Esse questionamento é necessário para que você possa direcionar melhor as suas futuras aquisições e não gastar com itens que sejam irrelevantes. Por exemplo, um colecionador dos filmes do Paul Anderson não precisa possuir um controle em formato de pistola para o Nintendo Wii, que é uma coisa bem fora do universo dos filmes.

Seguindo o caminho oficial

Mas seja qual for seu direcionamento, meu primeiro conselho é: se você tem uma “coleção” de itens alternativos, genéricos, ou piratas no mais claro português, que comece substituindo-os por originais. E opções para isso não faltam. Temos o eBay, o Mercado Livre, a Amazon e até fóruns de internet, onde fãs e colecionadores trocam e vendem esses itens para renovar sua coleção.

Alguns podem até questionar que games antigos são mais raros de se encontrar em bom estado e que quando lacrados chegam a ultrapassar absurdos R$ 500. Porém, usados com qualidade de seminovos existem sim aos montes, funcionam perfeitamente e são excelentes adendos.

Direcionando sua coleção pelos consoles

O pensamento mais comum quando se deseja iniciar uma coleção é contar com todos os jogos principais da série. Nesse quesito, o console mais bem cotado é o Playstation 3, que conta com os três primeiros games da série para compra online, além de CODE: Veronica e Resident Evil 4 ambos em HD, também por download.

O console da Sony também tem Resident Evil 5 Gold Edition (versão completa com todos os extras e com suporte ao Move), além do recém lançado Resident Evil Revelations 2. Há também RE: The Umbrella Chronicles e RE: The Darkside Chronicles, ambos em HD e apenas digitalmente, e, por fim, RE: Operation Raccoon City.

O Nintendo Wii segue por um caminho parecido. Temos Resident Evil 4, as já citadas séries Chronicles e Archives, que trazem RE Remake e Zero. Ainda, é possível aproveitar a retrocompatibilidade do console e jogar RE2, RE3 e CODE: Veronica nos relançamentos para o GameCube.

O Xbox 360 tem boas opções, com os jogos da série principal em HD e os lançamentos mais recentes. Já os usuários de PC têm à disposição a melhor versão de Resident Evil 5, com suporte a 3D e um modo que triplica o número de inimigos, além de RE: Operation Raccoon City e todos os games numerados da franquia.

Mídia digital é coleção?

Esse é um questionamento que traz enormes dores de cabeças para colecionadores “das antigas”, acostumados a ter a caixinha dos seus games favoritos. Serviços como o Steam ajudaram a popularizar essa tendência. Operation Raccoon City para PC em mídia física? Só na Europa! Resident Evil Revival Selection e a série Chronicles em HD em disco? Só no Japão! Tais games até ganham status de raridade para alguns colecionadores.

Mas sim, games, filmes e até livros digitais são itens de coleção. Quem nunca “guardou” no PC aquelas imagens “meio raras”, porém oficiais, que surgem antes de todos os lançamentos dos games? Os conteúdos online disponibilizados pela Capcom, como os wallpapers oficiais e papercrafts para imprimir, são itens que constam em muitas coleções também. Eu mesmo tenho no meu console todos os trailers de Resident Evil baixados no HD, mesmo não contando eles oficialmente como itens da minha coleção.

Caçadores de raridades

Nada melhor do que ostentar um raro item em sua coleção, certo? E há colecionadores que vão atrás só desses, que geralmente têm uma produção bem limitada. É o caso de comemorativos como a maleta de 5º aniversário ou o Collector’s Box de 10º aniversário para o Gamecube, que custam uma pequena fortuna. É o caso também dos quase R$ 3 mil da edição de colecionador japonesa de RE6, que vem com uma jaqueta igual a do Leon. Estes são itens que engrandecem (e encarecem) muito sua coleção, mas que sempre valem a pena ter.

Material nacional

Os últimos anos foi muito bom para os fãs brasileiros, pois tivemos livros e um mangá lançados oficialmente no país, totalmente traduzidos. Independente do direcionamento da sua coleção, é indispensável ter esses itens por serem originais e, principalmente, localizados para nosso país. Todos sempre reclamam de que nada sai no Brasil, por isso, quando algo sai por aqui, todo colecionador que se preze não pode deixar de ter.

Também há colecionadores que adquirem revistas de games nacionais com detonados ou avaliações de Resident Evil. Alguns até recortam as matérias e as colocam em pastas. Mas o que há de mais localizado são os filmes, tanto os em computação gráfica como os live actions de Paul Anderson, em DVD ou Blu-ray. Esses possuem dublagem em português e extras legendados para o nosso idioma.

Hoje, eu possuo quase 150 itens oficiais na minha coleção, mas ela não surgiu da noite para o dia. Colecion
o a mais de 10 anos e certos itens levam muito tempo e custaram muita grana para conseguir. Com o direcionamento certo, fica mais fácil decidir o momento correto para dar aquele lance ou efetuar aquela compra há tanto tempo desejada.
Survivors Colecionadores #2: Como começar uma coleção de Resident Evil? Reviewed by Gabriredfield on 08:00:00 Rating: 5

Nenhum comentário:

All Rights Reserved by Biohazard Brasil © 2014 - 2015
Powered By Blogger, Designed by Sweetheme

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.